23/03/2015

até no jardim
a tragédia
flores e folhas mortas vivem lá
assombram a luz
com suas secas
desprendida solidão e liberdade
no outono dos galhos enraízes
esperança a lembrança do orvalho
sombra o sol passado
em ramas de um perfume antigo

André


18/03/2015

Reza

Ainda religioso, mas Non Troppo, vem esta canção linda de meus amigos Cézar Ray e Beto Rocha, não por gostar desses anjos, mas é musica de quem pratica o bem, então veio umas cores que absorvemos logo nos primeiros acordes lá naquela parte do âmago que tanto nos emociona, não da pra falar mais, talvez dizer apenas que ainda é uma canção de amor, com vocês Reza.

video

memória do que não há

Me reconheço em seus orgasmos
Aqueles prediletos que pernas tremem
E amanhecem sensações
Escapa calmaria e euforia
O pulso pula pelos olhos
Enquanto me ofusca o brilho do seu sorriso

André

Brisa de Cangote

Admiti Jesus na minha poesia, na verdade eu queria mais era falar do Banzeiro ( onda do rio ) e tudo o mais desse mimo da natureza pros olhos nus. Ainda sobre Jesus mas como não sei ao certo qual será a sensação final ou se após esta que seria a nossa existência o que é ou não é verdade, eu ainda assim reluto em absorver de forma absoluta a ideia de que existe esse Deus da Bíblia como ta escrito, se existe porque não intercedes como já fez anteriormente, porque não nos coloca informações quanto a nossa relação, porque existe a necessidade dos Deuses viverem melhor que a gente?

"Uma criança igual a mim que gosto muito está doente com Câncer, e não merece sofrer muito, se Deus ou Jesus ler meu blog, venha ao vosso reino e cuide logo disso que é paz na terra".

Brisa de cangote
Flutuar feito os pés do filho
Vir do Mar quando enverga
Não é Banzeiro do Rio
São as ondas da praia
Oceano das marés
Sobe e desce na lua certa