26/08/2015

Julga Mentols

O que passou passou, foi outro tempo, os autores que talvez é que não deveriam emitir opinião! Talvez sejam grandes os escritores que descrevem sem dar opinião, estes por fim formam a vanguarda no prazer de ler, senhores e senhoras que sabem pôr se a saber à semântica de uma boa leitura, o ego fora de questão, talvez sem ego seja também vazio o mundo lúdico do escritor, e a graça rasa seja escassa, sei lá, vai saber...

O fato é que saber quem eu sou hoje: é perceber que não sou mais quem eu era! ... E essa mudança obvia e até redundante; na verdade fotografa de forma panorâmica meu ciclo, essa nova "nova fase", na lua nova da minha vida ensolarada, me movo numa rotação complexa, onde o eixo talvez a capacidade de contemplar e não precisar ser contemplado, elevando minhas marés e trazendo uma experiência racional com som de mar. De alguma forma o presente é sempre superior ao passado em tudo que vivi, talvez não seja superior como se o passado fosse menor em escala, é certamente e claramente independente do que passou, e tratar isso pros novos julgamentos e decisões em medidas, méritos e exclusões é muito difícil, talvez eu precise finalmente aprender a escrever o que eu não penso e sim somente o que eu queira registrar na asa da palavra...  

Diz a lenda do Kung Fu que quando o Mestre Tarugo preparava o Panda gordo e fofo pra ser o maior dos guerreiros, a primeira coisa que ensinou foi:

- "O passado já passou! O futuro a gente não sabe, é o que virá e o presente o próprio nome já diz, é uma dádiva, é 1 presente"!

... Raul Seixas diz de outra forma.
- "O hoje é apenas um furo no futuro por onde o passado começa a jorrar"

Débora que o diga: - Isso é muito cármico, a visão oriental do Mestre de Kung Fu versus a visão Ocidental que o Raul fala... Por fim temos alternativas em ambas sentenças dos karmas para mudarmos nosso futuro, feito um mantra que eternamente se repete sem nunca ser igual.


Assim vou voltando...

Vrummmmm

23/03/2015

até no jardim
a tragédia
flores e folhas mortas vivem lá
assombram a luz
com suas secas
desprendida solidão e liberdade
no outono dos galhos enraízes
esperança a lembrança do orvalho
sombra o sol passado
em ramas de um perfume antigo

André


18/03/2015

Reza

Ainda religioso, mas Non Troppo, vem esta canção linda de meus amigos Cézar Ray e Beto Rocha, não por gostar desses anjos, mas é musica de quem pratica o bem, então veio umas cores que absorvemos logo nos primeiros acordes lá naquela parte do âmago que tanto nos emociona, não da pra falar mais, talvez dizer apenas que ainda é uma canção de amor, com vocês Reza.

video

memória do que não há

Me reconheço em seus orgasmos
Aqueles prediletos que pernas tremem
E amanhecem sensações
Escapa calmaria e euforia
O pulso pula pelos olhos
Enquanto me ofusca o brilho do seu sorriso

André

Brisa de Cangote

Admiti Jesus na minha poesia, na verdade eu queria mais era falar do Banzeiro ( onda do rio ) e tudo o mais desse mimo da natureza pros olhos nus. Ainda sobre Jesus mas como não sei ao certo qual será a sensação final ou se após esta que seria a nossa existência o que é ou não é verdade, eu ainda assim reluto em absorver de forma absoluta a ideia de que existe esse Deus da Bíblia como ta escrito, se existe porque não intercedes como já fez anteriormente, porque não nos coloca informações quanto a nossa relação, porque existe a necessidade dos Deuses viverem melhor que a gente?

"Uma criança igual a mim que gosto muito está doente com Câncer, e não merece sofrer muito, se Deus ou Jesus ler meu blog, venha ao vosso reino e cuide logo disso que é paz na terra".

Brisa de cangote
Flutuar feito os pés do filho
Vir do Mar quando enverga
Não é Banzeiro do Rio
São as ondas da praia
Oceano das marés
Sobe e desce na lua certa



27/01/2015

Serge Gainsbourg Dub Rastaquouere

Serge, por que Serge?

Serge é um putão no País do Putões, Francês autor de gostosíssimo hit je t'aime moi non plus ele é o cara, tem talento, fez musicas ótimas pra dançar sensualizando, que é muito mais gostoso!



Aqui numa versão Dub, pra Reggear essa tarde insossa!



Jah Serge



Luz