25/11/2014

Racionais Mc’s lança seu novo CD intitulado “Cores e Valores”

É isso amantes do Rap, após 12 anos do último disco vide “Nada Como um dia Após o Outro dia“, o grupo que ajudou a formar milhares de mentes lançou seu oitavo disco.
Na capa (acima), os quatro pretos mais perigosos do Brasil aparecem vestidos com roupas de gari, com mascaras, metralhadoras e malotes, provavelmente acertando a boa.
O nome do disco é “Cores e Valores”  e contém 15 faixas, chavosas e de revolução como Racionais sempre foi; a música que da nome ao disco já foi cantada em show’s e disponibilizada para audição, mas no disco ela se fragmentou e deu vida a várias faixas com novos versos.
Entre as músicas temos “A Praça“, faixa 10 que fala sobre a treta na Praça da Sé, até a faixa “Eu Te Prometo“, um som que  o Racionais fala de romance, no mais vocês precisam ouvir.
A produção executiva do disco é de DJ Cia, o CD marca 25 anos de carreira do grupo, que começou os corres la por 89; para pesadelo de alguns, o álbum conta com músicas curtas na sua maioria, mas sempre com ideias fortes, afinal estamos falando dos caras que fizeram Nego Drama.
Fonte: Rap Nacional, pra saber mais, comprar ou baixar Clica aqui


SESC Barra Mansa

Espetáculo teatral baseado em depoimentos de mulheres negras e no mito de Iansã, “Sete Ventos” é interpretado por Débora Almeida e faz única apresentação, dia 28/11, às 20h30.

Programação SESC, clica aqui.


24/11/2014

Por de baixo de mim sangra um jardim

Aonde será o horizonte no desejo?
Aquele sem freio,
Fome louca sem receio
Me lambuzar de vontades.

Nessas esperanças remanso
Atordoando calado,
Mantenho forte
Minhas garras largas

... E faço mar
Nos braços de espuma
Cubro tudo que está nu
Sou sal da pele

sou nós

... E desfaço poesias
Da língua trato forte
a linha torpe do gozo
escorre em nanquim
Dizendo na derme
Qual tipo de febre
arde em mim...

Nessas palavras
Se jogam em ondas
Caindo onde será que eu direi que vim

Qual olhar vejo o meu
Perguntas encruzilhadas,
desatino...


Luz

Até no jardiM
uma tragédiA
flores agora mortaS
assombram a luZ
com suas folhas secaS
e a lembranças do orvalhO
E as sombras do passadO
Em ramas de um perfume antigO


22/11/2014

Donana



Com direção do Cacau Amaral, o filme foi lançado em abril no dia da Baixada e agora poderá ser baixado para a maior facilidade de difusão.
Escolhemos o dia 20 de novembro, dia da Consciência Negra como forma de homenagem à força da cultura afro na Baixada – o filme transpira isso em cada frame…
É pra baixar e espalhar! E como diz o mestre Ras Bernardo, o reggae não pára e nem pode parar! :)
Ficha Técnica
Sinopse: A partir da história do Centro Cultural Donana, em Belford Roxo, o filme apresenta um rico painel que envolve música, moda, dança, artes plásticas e muitas histórias emocionantes sobre a Baixada Fluminense no final dos anos 80 e início dos 90. Desse cenário efervescente surgem várias bandas de projeção como Cidade Negra, KMD-5, O Rappa, Cabeça de Nego, Nocaute, entre outras.
Direção, Roteiro e Edição: Cacau Amaral
Produção: André de Oliveira e Fabíola Trinca
Assistente de Direção: Heraldo HB
Fotografia: Bruno Martins, Cavi Borges, Márcio Bertoni, Michel Messer, Rafael Mazza, Thiago Conceição
Som direto: DMC, Flávio Maravilha Arte: Diego Jovanholi
Correção de Cores: Josinaldo Medeiros Mixagem: Ricardo Mansur
2014 – 27min – um filme Mate Com Angu
Fonte: Mate com Angú link http://matecomangu.org/site/?p=1547

Link para assitir o vídeo http://vimeo.com/matecomangu/httpvimeocomdonana



20/11/2014

Eu sei lá, só sei que sei e não sei de mais nada.

Sou um cara que quanto maior ou mais difícil meu objetivo é, mais força me vem nos braços, nas pernas, na pensação e na alma abençoada que eu tenho composta por todos os meus ancestrais, hoje é um grande dia, simplesmente porque estou vivo e estou bem comigo!

Luz com Monalisa

10/11/2014

Aonde foi parar o movimento?








O teto de vidro e suas pedras

Cacos de vidro

De uma janela deslumbrante
Com reflexo dos presentes passados...
Quebra se num espatifar de sensações
 
Algo mói e se desfaz em pó 
Se morre num soprar e puxar de vento
Fazendo a dor da arte sangrar até brilhar...

Vidro tudo que move 
E estraçalho a falsa valsa
A garrafa justa e húmida julga suas quebradas...

Cacos...






01/11/2014

Luz

Minha pensadoria 
vem da brisa
Do flerte no olhar

Feito Ojuobá
Me espalho aos 4 cantos 
do saber sem estar,

Ser
É o que
há!

Luz