18/08/2014

Leve

Certeza é viver a navegar
Um amor chamado lar
E a paz é o Rei
Sem pressa é estar, ser
A mente simples fica
Pensando rebulicos alegres
E o corpo mais que merece
O prazer que erdei dos meus ancestrais

André

13/08/2014

Pediu perdão
Dobrou os joelhos
Chorou o fel da fé

Teve medo desmerecedor
Dormiu sem sono
Acordou no chão de estrelas

Mas quando pediu
O divino calou-se
Deixando as respostas cheias de lembranças 

E com a crença 
Acendeu um fino pavio 
Ergueu-se de luz

Agora que perdeu
Torna o futuro um encontro
Tanto faz se é poema ou conto...

Eu daqui acordo a paz 
Solto meus pássaros azuis 
E deito nu de sensações.

André Luz


06/08/2014

O beijo inesquecível 
A invasão mais marcante
No caminho entre suas coxas 
Me revolto num vôo pássaro 
E me aninho no jardim dos seus suspiros 
Enquanto suga meu fogo íntimo
Na falta da poesia escrevo com a língua em seu mamilo
E torno o toque infinito
Nos mais úmidos desejos
E me transbordo em sua tábua de esmeraldas,
Nascendo flor do capim.

André Luz

04/08/2014

Revira a volta das varandas

O vento só pra fortes, 

Aqui quem manda demandas é a raiz da Serra dos Órgãos

Empurrando seu zumbido poderoso e morno, madrugado até o galo cantar a manhã...


Vale de Inhomirim pra desabar na baixada fluminense

Desalgar a maresia  da velha Guanabara, 

as folhas se agarram aos seus galhos até que morram

Sem saber que seu milagre será voltar a ser terra.


Tudo é tempo.


André Luz


01/08/2014

Amanhecimentos

A musica que aquece 
o inverno põe o sol pra dormir 
depois de muitos tons traz amanhecimentos...

A corda lá que vibra e arranja o sol em estribilhos
doou a outra mão ao ritmo
alçando o fim dos silêncios
Shiiiiiii.... p-sil.

André Luz