30/01/2014

Asa de saudade 
de quando o peito leve 
acendia um brilho limpo 
onde eu era pensamento de menino 
rio cristalino

Dessa gota me orvalho
em amanhecimentos
cheios de ritmos e atos
onde a fé no futuro
a imensa leveza de não ser mais expulso de nenhum falso éden
me fazem a nobreza
do que eu no fundo
e no raso
sinto o brilho do infinito intimo em mil...
Cheio de me dizer
Sem que lhe explique...

Luz

29/01/2014

Entoca as coxas 
e eu toco
duras 
duas
tuas
nuas 
em meus mil desejos
lambe o receio
goza 
gemido 
ido
aos seus sentidos.


Pai e filho.
Deuses de princípio
Onde a terra não tem fim nem início
Africa, mãe do homem, árvore de Oxalá
De lá tudo que roda, tudo que há...

Luz
De Logun



03/01/2014

Passeio distraído...

Adoro passear distraído, ir a museus, ir ao teatro assistir uma peça bacana, ou um show diferenciado, em 2013 eu abandonei minha poupança cultural... 

Acho que em mim isso faz mal, pois sinto que empobreço em argumentos, em visões e inspirações, canalizando demais em direções que não suportam a pressão de meu jeitinho MEGA IMPERATIVO, mas o ano novo chegou e estou no foco de sugar cultura em 2014, quero ver o que estão fazendo, pra onde estão levando toda mentira que encanta, onde a arte me chamar, eu vou estar lá!


01/01/2014

pedaços de palavras

muito só, muito elegante só, essa minha sentimentalidade absurda é meu lado burro, o que se dá a quem se nega, chamando essa burrice de amor, de dor singela, de espera.
é dessa poesia que me arranco em pedaços

André Luz

Paz!



Se eu preto e branquear o horizonte
Desnudaria todo verdejar
Faria muitos tons de cinza
E tiraria o azul do céu
Não teria nuvens cheias
Nem flocos brancos formariam estas imaginações
Se descolorir...

André Luz