26/12/2013

Gosto de pousada

Quando pousou aquela rosa vermelha que te dei,
No seu fino lenço branco, que sorriu.
Quem se cobriu foi eu,
deitei me dessa flor que caiu e se foi...
Agora nem pétala de algodão cor de pele.



André Luz

Estrelas Binárias

Sempre juntas se envolvendo!
Não são Grandes,
médias ou pequenas,
Dançando incandescentes pelo espaço,
Juntas brilham mais que soltas, 
Até que uma dessas morre...
E continuam dançando,
Até formar uma supernova.



Tristeza camará...


Berimbau

Vinicius de Moraes

Quem é homem de bem
Não trai!
O amor que lhe quer
Seu bem!
Quem diz muito que vai
Não vai!
Assim como não vai
Não vem!...
Quem de dentro de si
Não sai!
Vai morrer sem amar
Ninguém!
O dinheiro de quem
Não dá!
É o trabalho de quem
Não tem!
Capoeira que é bom
Não cai!
E se um dia ele cai
Cai bem!...
Capoeira me mandou
Dizer que já chegou
Chegou para lutar
Berimbau me confirmou
Vai ter briga de amor
Tristeza cama

O artista é um ser insatisfeito com o mundo, por isso ele cria.
( Não sei ao certo se essa frase é minha, procure saber ).

Bom dia sim!


Esse mote de pássaro me amanhecendo,
Trazendo musica enquanto sonho, me abrindo...
Ouvindo suas dores e seu amor
Na voz lucida de cantador.

André Luz



24/12/2013

Encara!

Diferenças são superadas
Quando existe uma força em comum em querer-se, tem-se!
Ossain e Amy se estranharam
MAS logo começaram a se curtir
E estas desigualdades
Tornaram-se curiosidades e aprendizagem
Assim como em nós

17/12/2013

invoca


A minha fé!
Não tem seu pecado,
A minha fé, é Deus de todo lado.




Cajazeiro de menino

Naquele quintal eu corria feito o vento, mirava o pé de cajá de longe, jurava que daquela vez eu ia correr e conseguir subir duma única vez, até o topo! 
... Meus olhos de repente sentiam o ar do não chegando, mas mesmo assim eu corria, feito cavalo sem arreio no campo, ribeira abaixo enviesando pelo vale, tudo verde, clarinho, clarinho, feito cheiro do mato molhado que lambe o pé, e falando nisso: Quando o cajá terminava o gosto, vinha o caroço, solto de pontas, mordia feito cio, sei lá, tudo era desafio e vida, mais tarde chegou eu como homem, aí tudo só se for falando do tempo, nem lembro se subi e consegui, lembro que corri...



E agora que morri?

Me jurou de morte
Trazendo me no sangue da sua palavra
Afiou em minha língua o teu punhal que me guarda

Disse que me beberia 
Que eu não era de verdade, que arei sua dor
E sente muita saudade, saudade de flor!

Me acusou de roubo
Furtando meu passado pro seu julgo
Quis que o mundo me expurgue

Agora que morri pra ti
Não acenda vela ou apele prece, pois virei vento
Olhe para o seu céu de centelhas

E se agradece!

André Luz - De Tudo Hum Pouco



Poesia de Parede

Olá,
Se você curte ou faz poesia de rua, aquelas em que lemos nas paredes, marginais, autorais ou anônimas, curte este grupo que criei no facebook, vamos compartilhar e daí formar um grupo que espalhe pelos muros nossos frutos literários.

Poesia de parede Link do grupo!

Guarda-Roupa

Paz se veste de paz
Assim é que se acalmas

Revestir de guerra 
A Paz se erra

Em resposta a nunca ter respondido
Eu digo, não brinque mais com meu abrigo

Se não: não serás nem terá sido, paz.

André Luz




16/12/2013

Ser linda pode ser pouco, perante ao muito bom que SE faz...

A Gringa mandou bem, linda do maridão foda também!
Eu que já saí, digo com certeza, também amo meu país, meu jeito latino, minha cultura...

O nosso jeito, o nosso amor, se aprendecemos a maioria toda, a dar valor! Ai ai...

ó
Blue! (COMPLETO AQUI)


15/12/2013

"Cais"

Inventei um cais pra maré que se encheu, 
criei um mar pra lua marear, 
Dei ao desabrigo todo guardar.

Tudo calado e quieto, 

imaginando que ser Deus é certo.
Depois eu me tornei um simples e esperançoso anônimo,


Do criador virei filho 
da dor
antônimo.

André Luz

14/12/2013

não há vagas

Um gosto amargo, no doce que me cabe...
Uma garganta seca por palavras que te traga.
Riscos imersos de solidão...

André Luz - De Tudo Hum Pouco

12/12/2013

Calmamente


O desejo dele me dominou e cresceu-se em meu medo 
Querer sem te-lo, não, é meu desejo! 

Meu amor foi e contorceu o vento da razão 
Tornando tudo que eu não queria mais belo. 

E daí ele me teve, 
e eu fiquei feliz Usada eu Abusei dele 
... e fui sim. 

Até que a brisa venha
Seja breve,
Até que o peito dele embriague minha sede. 
Calmamente.


Ilustração: Henry Asencio

10/12/2013

Deixei meus trapinhos em cima da cama...

Deixei meus trapinhos em cima da cama, fiz tudo ligeiro:
Peguei maquiagem, valise e coragem enquanto não vinhas
Peguei o dinheiro da minha passagem, que era só de ida
Não olho pra trás, parti e não vou mais é voltar pra essa vida
Deixei na tua casa uma rosa vermelha e um bilhete dizendo:
"Cuide bem dessa rosa, trate ela melhor do que tratou a mim"
Nem beijei o papel, dobrei, saí no calor do momento
Vou com a roupa do corpo mesmo sem ter pra onde ir
No caminho da rua sambei meia hora em cada esquina
Entrei em boteco, fiz doze amigos do peito e da pinga
Eu bebi, ri, subi em cima da mesa dizendo "seu moço,
Trás mais uma gelada que a nega aqui hoje teve alforria!"
Quando a noite chegou, subi no bonde correndo
Cantando e batendo com os dedos um samba na palma da mão
Eu não olho pra trás, não, não me arrependo
Vou com a roupa do corpo, não sei bem pra onde mas não paro não.
La la aiê...


Filipe Catto - Roupa Do Corpo

09/12/2013

levante

Agora 
o vento forte em Raiz


Lambe que refresca tudo
Lambe que refresca tudo
Lambe que refresca tudo
Lambe que refresca tudo
Lambe que refresca tudo

Invade

portas e a janelas se arreganham
Um bando de madeira bate num baile de fecha e abres 


Tem um sopro, um assovio puro

Forte feito tudo, suspirando alto, o mais alto tom do sussurro
vem o vento do mato escuro 
segurando a luz dos topos de uma outra cidade


E se levantar,abrir os olhos

Terá no seu chão todas as estrelas espalhadas 



poderá:regozijar a vida e deitar vendo os

Pingos de luz cercados de azuis


E volta o levante

Vácuo gostoso do instante
Que prega o que tem em nós de brilhante
E nos leva avante!

@ndré Luz


Blues dos corujões sonidos eou Só nesse dia

O baton não se espalhou em meu rosto
Eu também não borrei o rimel dela
Maquiamos o medo
Com o pó de cor(agem).

Tratamos de um blues devagar
Dançamos no clube
Eu vestido dela
Lambendo suas tatuagens

Um trago, e um fim aos problemas
Altas horas
Tópicos tropicais
Loucuras, jazz

Corujas noturnas
Voam pelas ruas
Enquanto versávamos
Num monte de noite e luz

E quando saí, era só eu.

André Luz - De Tudo Hum Pouco

06/12/2013

E aí?

Umas portas abertas
Outras entreabertas, pequenas frestas...
Algumas portas escancaradas
Desesperadar pelo entrar
Toda minha vontade mora nessa sua, nua e crua.

Trancada!

André Luz Gonçalves

05/12/2013

Rápa

Aos GRITOS de "olha o Rápa" a rapaziada se alastra no Dezembro, consumindo o que vem vindo, se for legal e barato: leve rápido algo marginal que deveria ser regulado, mas é legal, mas se vier o guarda,n corre!


André Luz Gonçalves

Fulano de Beltrana

Um ser anônimo, sou...
Feito aquela amante que se vê na cama.
Feito amor que se engana.
Um nada de um tanto, de alguém.