25/03/2013

Network ditado

Vendo poesia
Pode pagar-se e sentir-se 
Com panela e caldo no barro
Da cara magra da gana, 
Ou fome na mão do palhaço

Vendo versos
Imensos em mim imersos
De imagem na palavra eu tenho um bom 
Que seu olho pode pagar, onde ler alcançar.

Alugo sentidos
O tempo de ternura é bom
Dura mais que um suspiro
Tenho mais céu que o chão

Venha ao brechó em poemas
Alguns amarelos, mofados ao pó
Alguma coisa rara, pouca cara
Se encantar me aproveita fazendo outro nó.



Nenhum comentário:

Postar um comentário